O Tempo
Uma teoria

A natureza do Tempo

Entender o conceito de Tempo é um dos aspectos mais difíceis da experiência humana. Medimos o tempo com calendários e relógios. Isto faz parecer que o tempo se iniciou no passado infinito e prossegue em direção ao futuro infinito. Isto ocorre porque a nossa mente está bloqueada na matriz espaço-temporal do nosso planeta, o que impede que possamos observar a natureza do tempo de fora da nossa experiência de tempo.


A teoria

O tempo não passa por nós. Contrariamente, nós é que nos deslocamos através do tempo. Imagine o tempo como sendo uma fita muito longa. De fora do domínio do nosso tempo, poderíamos olhar para esta fita e vermos que todo tempo existe simultaneamente, desde o mais longínquo ponto no passado ao ponto mais distante no futuro. A partir deste ponto de observação, poderíamos então olhar para esta longa fita e escolhermos um ponto de entrada e um ponto de saída. Passaríamos a viver neste segmento de tempo, o que iria nos proporcionar uma série de experiências que nos ajudariam no nosso processo evolutivo. Em escolhas subsequentes, poderíamos optar por um segmento de tempo que fosse anterior ou posterior em relação ao segmento utilizado na primeira escolha. Desta perspectiva podemos supor a possibilidade de já termos vivido "vidas futuras".

Embora esta analogia entre o Tempo e uma fita seja interessante, ela não leva em consideração a natureza cíclica do tempo.


Ciclos de Tempo

Na história fonográfica, os primeiros registros sonoros eram efetuados em um aparelho denominado fonógrafo.

Este consistia de um cilindro, que era colocado para girar a uma velocidade constante, e de uma agulha que ao vibrar, controlada por um sinal sonoro, produzia um sulco na superfície do cilindro. O sulco produzido registrava variações que permitiriam a posterior recuperação do sinal sonoro usado para efetuar o registro.

Para aumentar o intervalo de gravação disponível, a agulha deslocava-se paralelamente à superfície do cilindro. Lentamente e sincronizada ao giro do cilindro, esta ia de uma das extremidades do cilindro em direção à extremidade oposta. Desta forma, a gravação resultante consistia num sulco espiralado que cobria toda a extensão do cilindro.


Fonógrafo

O Tempo na Terra é similar à espiral existente no cilindro do fonógrafo. A cada revolução completa corresponde um período de 20 anos.




Nutação e Precessão

Todos estudamos que a Terra possui os movimentos de rotação e translação. A rotação corresponde ao giro que ela executa sobre o seu próprio eixo. Deste movimento resulta a sucessão de períodos diurnos e noturnos. Cada revolução determina a duração do dia terrestre. O movimento de translação consiste no giro que a Terra executa em torno do Sol. Este movimento determina a sequência das estações e define o ano terrestre.

Alem destes movimentos, a Terra também executa outro movimentos menos divulgados. Um destes movimentos é denominado Precessão. Este movimento pode ser comparado ao bamboleio efetuado por um pião girando. Quando lançado, um pião gira em alta velocidade (movimento de rotação) e ao mesmo tempo efetua um movimento de bamboleio (Precessão) bastante lento se comparado ao giro rotacional. A Terra também apresenta um movimento de precessão similar. Um ciclo de precessão é executado em aproximadamente 26000 anos. Para complicar um pouco mais as coisas, o movimento precessional da Terra é mais complexo do que um simples giro de 26000 anos. Ele e constituídos de movimentos secundários que produzem uma oscilação com ciclos de até 20 anos de duração. Este movimento recebe a denominação de Nutação. Um ciclo Precessional é composto de 1300 ciclos Nutacionais.

Voltando à analogia com o fonógrafo temos que cada espira em torno do cilindro corresponde a um ciclo de Nutação (20 anos) e que para deslocarmos de uma extremidade até a outra serão necessárias 1300 rotações (26000 anos). Doze destes cilindros de 1300 espiras são conectados para produzirem um grupamento (ciclo) maior.


Correlação astrológica

Este conceito de Tempo é utilizado pela astrologia que considera a existência de Eras. A astrologia se utiliza de doze Eras astrológicas distribuídas dentro de um ciclo de 26000 anos. Estamos agora vivendo na Era de Aquários.


Travas de Tempo

Desde que é concebido, cada ser passaria a estar ligado a um segmento de tempo. Desta forma deslizaria através da espiral de tempo desde que a sua Trava de Tempo seja mantida intacta. Usaremos a seguinte analogia para melhor explicar este conceito de Trava Temporal. Imagine que você está sentado na poltrona dentro de um avião e que esteja iniciando uma longa viagem. Após algum tempo de vôo tranquilo e sem nehuma turbulência, você começa a ficar tão relaxado que tem a sensação de que o avião não está se deslocando. A sua referência de deslocamento passa a ser o avião. Desde que você permaneça sentado, com o cinto afivelado, não perceberá que está se deslocando, juntamente com o avião, a aproximadamente 1000 Km/h. Esta situação se modificará assim que você soltar o seu cinto de segurança, levantar e caminhar para ir ao toilet. Nesta analogia, o cinto de segurança funciona como a sua trava de tempo.


Este texto foi escrito a partir de informações obtidas no conteúdo do site Cosmic Insights de autoria de John Hornecker.


Voltar